[Resenha] Estilhaça-me - Tahereh Mafi

Juliette não toca alguém a exatamente 264 dias. A última vez que ela o fez, que foi por acidente, foi presa por assassinato. Ninguém sabe por que o toque de Juliette é fatal. Enquanto ela não fere ninguém, ninguém realmente se importa. O mundo está ocupado demais se desmoronando para se importar com uma menina de 17 anos de idade. Doenças estão acabando com a população, a comida é difícil de encontrar, os pássaros não voam mais, e as nuvens são da cor errada. O Restabelecimento disse que seu caminho era a única maneira de consertar as coisas, então eles jogaram Juliette em uma célula. Agora muitas pessoas estão mortas, os sobreviventes estão sussurrando guerra – e o Restabelecimento mudou sua mente. Talvez Juliette é mais do que uma alma torturada de pelúcia em um corpo venenoso. Talvez ela seja exatamente o que precisamos agora. Juliette tem que fazer uma escolha: ser uma arma. Ou ser um guerreiro.

Título original:Shatter Me
Série: Estilhaça-me#1
Editora: Novo Conceito
Ano: 2012
Categoria: Distopia, juvenil
Nota: 4/5

Oie, tudo bem com vocês?

Nossa, estou viciada em distopias, quero ler todas! Mas tento dar um tempo entre as séries, para não correr o risco de enjoar. No início de agosto finalmente iniciei a Série Estilhaça-me, que era doida para ler desde o lançamento, então vamos ver o que achei?


Estilhaça-me
Seu toque é letal. Seu toque é poder

Em Estilhaça-me, temos uma mistura de distopia com elementos sobrenaturais/paranormais. Em um futuro não muito distante, os humanos enfrentam as consequências de seus abusos e destruições. Após várias guerras, abuso dos recursos naturais, descaso com o meio ambiente, a natureza parece ter se revoltado contra nós, e a Terra mergulhou em um verdadeiro caos. Instabilidade ambiental e mudanças climáticas drásticas, morte em massa dos animais, contaminação das plantações, são reflexos dessa situação, que leva toda população mundial a beira de sua destruição.

Os animais estão morrendo, os pássaros não voam, as colheitas são difíceis de obter, as flores quase não existem. O tempo não é confiável. (…) Estávamos nos matando na tentativa de permanecermos vivos. O tempo, as plantas e a sobrevivência humana são indissociáveis. Os elementos naturais estavam em guerra uns com os outros porque abusávamos de tudo.
Págs. 28 e 29

E no meio de todo o caos surge um grupo denominado Restabelecimento, com promessas de salvação. Porém, ao conseguir o controle mundial, o Restabelecimento, que é faccionado em diversos centros de comando ao redor do mundo, inicia um verdadeiro regime totalitário e absolutista. Toda a diversidade cultural e social deve ser banida. Os idiomas, substituídos por um novo e universal. A padronização deve ser total. Somente os fortes e saldáveis interessam ao novo governo. Os idosos e os problemáticos são banidos do regime. E mesmo aqueles que “fazem parte” da nova sociedade, vivem com medo e passando necessidades.

Juliette Ferrars faz parte do grupo dos “problemáticos”. Ela é um mistério e considerada uma aberração por todos que já cruzaram seu caminho. Tudo porque, por algum motivo desconhecido, seu toque é letal. O contato com a pele da jovem é capaz de matar até o mais forte dos homens. Rejeitada a vida toda, incluindo por seus pais, Juliette acaba sendo entregue ao Estado, aos 14 anos, e após anos como cobaia de teste, inconclusivos, diga-se de passagem, ela é deixada sozinha em um hospício.

Após quase um ano sozinha, sem o menor contato com outras pessoas, Juliette passa ter um companheiro de cela, o misterioso e enigmático Adam, que ela reconhece como sendo um antigo coleguinha de escola. A única pessoa que não olhava para ela com medo ou desprezo, a única boa lembrança de sua infância.

Pouco após esse acontecimento, Juliette descobre quem realmente é (ou quem aparenta ser) Adam, é retirada do hospício e levada a cede do Setor 45, governado a mãos de ferro por Warner, filho de um importante líder do Restabelecimento. A intenção de Warner é usar Juliete como arma, e fortalecer ainda mais seu domínio, e por isso ele tenta seduzir a jovem com luxo e conforto, coisas que ela nunca teve na vida. E aí a história começa a desenrolar mais.

Adorei a construção da Juliette e a forma como ela foi amadurecendo ao longo do livro. Ela tinha tudo para ser louca, do tipo doida de pedra mesmo, mas fora algumas manias meio obsessivas, como contar o tempo segundo a segundo, medir espaços mentalmente, e ficar repetindo as coisas na sua mente (geralmente três vezes), ela é bem mais sã e normal do que se esperaria de uma pessoas que nunca recebeu qualquer tipo de afeto na vida, sempre foi rejeitada, e ainda passou quase um ano no mais completo isolamento.

Haverá um pássaro hoje. Ele será branco com listras de outro igual a uma coroa sobre sua cabeça. Ele voará. Haverá um pássaro hoje. Ele será branco com listras de outro igual a uma coroa sobre sua cabeça. Ele voará. Haverá um...
pág. 12

Adam representa bem o mocinho príncipe encantado: doce, protetor, preocupado e carinhoso. A relação entre ele e Juliette desenvolveu rápido, porém não considerei um relacionamento instantâneo, porque há uma história por trás. Entretanto, ele não me conquistou tanto assim, acho que porque achei o personagem perfeitinho demais (vai entender cabeça de mulher).

Minha grande interrogação com o livro é Warner! Como o livro é narrado em primeira pessoa por Julitte, temos apenas o ponto de vista dela. E Warner é descrito como um homem cruel e sedento de poder. Logo percebemos que ele também é bem obsessivo e não parece ser a pessoa mais equilibrada do mundo. Ele fica obcecado por Juliette, e esse sentimento vai além do desejo de usá-la como um meio de ganhar mais poder. Porém eu já sei da existência de um grande Team Warner, então fico imaginando o que nos será revelado sobre o personagem nos livros seguinte.

Esse é um livro introdutório, no qual nos é apresentada de forma geral a situação do mundo, temos algumas pistas e nuances desse governo totalitário, e descobrimos que existem pessoas com poderes ou dons especiais, como é o caso de Juliette, embora a origem desses poderes e o que ela realmente é, ainda não tenha sido explicado. E tenho que dizer que esse e outros poderes da protagonista me lembraram muito os X-Men, e desde as primeiras páginas associei a personagem à Vampira. E no final do livro aconteceram algumas coisas que me fizeram associar a série de Mafi ainda mais a dos mutantes.

Gostei muito da escrita da autora, e a forma como conduziu a história. Ela deu algumas informações, mas deixou muita coisa não explicada para prender a curiosidade do leitor.

A diagramação da Novo Conceito está perfeita! As páginas são amareladas e a fonte grande e espaçada. Há várias passagens grifadas, mostrando pensamentos ocultos de Juliette, e essa diferenciação ficou bem legal. E as capas são lindas, tanto a primeira quanto a nova (eu li na versão da capa antiga).

Recomendo muito a série, e já estou louca para ler os livros seguintes. Porém vai demorar um pouco, porque estou com 3 livros na lista de prioridades, :).

Talvez eu morra hoje.
Talvez um pássaro voe hoje.
Pág. 29

Beijos


.

27 comentários

  1. Eu também me amarro em distopias. Assim que vi que essa iria se lançada, já coloquei como desejada. O que me agradou é que a autora bebeu muito da fonte dos X-Men (desenho que adoro desde criança). Uma coisa que gostei foi que, mesmo sendo o livro de estreia da autora, ela já "chegou chegando", impressionando muita gente com a qualidade de sua escrita. Enfim, agora é aguardar o andamento da trilogia, e esperar que ela segure o nível até o final.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa Nardonio, o livro é muito bom mesmo. E já li o 1,5, depois de escrever essa resenha, e é muito bom. Estou ansiosa para dar continuidade
      beijos

      Excluir
  2. Adorei a sua resenha! Dei uma cansada de distopias, pela grande quantidade que foi lançada ultimamente, mas tenho muita curiosidade em ler essa série em especial, parece ter tudo pra ser ótima e prender do início ao fim!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/
    Tem resenha nova de Divergente, vem conferir!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse é ótimo sim. Eu dei um tempo depois que terminei minha última distopia, e estou dando um tempo entre os livros da série, mas termino em breve, rs
      beijos

      Excluir
  3. Essa é uma série que eu quero muito ler. Adoro essa capa e a sinopse. Sua resenha ficou ótima e fez jus ao que eu espero do livro.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada, e leia sim, quando puder
      beijos

      Excluir
  4. Oie...
    Gosto bastante de distopias e ainda não tive oportunidade de comprar este livro, mas sou louca por ele.
    Além de ter um enredo super legal, a capa é linda. Acho que esse mix de distopia com sobrenatural vai combinar muito bem! Gostei bastante da resenha e só aumentou minha vontade de ler a série.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que combinou super bem essa mistura, a autora soube trabalhar o assunto
      beijos

      Excluir
  5. Bruna!
    Realmente a escritora deixou na expectativa para que possamos acompanhar a série toda.
    Confesso que amo essa série, me prendeu do primeiro ao último livro, embora o último seja um tanto diferente a visão. Quando lê-lo, irá entender...
    cheirinhos
    Rudy
    Blog Alegria de Viver e Amar o que é Bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aiii, estou super curiosa pela sequência já, rs
      beijos

      Excluir
  6. Eu vi uma jacket desse livro a um tempo atrás e me amarrei! Achei bem diferente, fiquei com muita vontade de ler. Assim que comecei a ler a resenha de cara associei a Vampira também. bj

    ResponderExcluir
  7. Oi Bru..
    Adorei a resenha. Ainda pretendo começar a ler esta série, mas acho que vai demorar um pouquinho.
    Já ouvi muito sobre a narrativa o que me anima mais um pouquinho..

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada, Letícia, e leia sim, é um ótimo livro
      beijos

      Excluir
  8. Oi Bruna.
    Li Estilhaça-me e adorei! Adorei a escrita da autora e da forma como ela coloca os pensamento ocultos da Juliette.
    Li os dois contos e Liberta-me e agora estou doida para ler Incendeia-me e saber como termina *-*
    Ahhh eu sou #TeamWarner rsrs O Adam é muito certinho =P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. aiii, eu preciso ler os outros! E acho que serei Team Warner também, kkk
      beijos

      Excluir
  9. Bru preciso iniciar esta série! Agora que já tenho tudo bonitinho com as capas novas não tenho mais desculpas. Sempre vejo resenhas positivas, e como eu adoro distopia espero amar!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. recomendo muito o livro, ainda mais se você curte distopias
      beijos

      Excluir
  10. Eu amei sua resenha!! eu sou viciada em distopias.. meu estilo favorito. Mas esse negocio de muitos livros me deixa pobre!!! ai eu acabo passando a vida esperando o dinheiro para comprar a continuaçao :/ Mas qndo tiver money, sem duvida começo essa distopia... parece perfeita!!!!

    ResponderExcluir
  11. Oi Bruna, pra falar a verdade sou apaixonada no Estilhaça-me assim quando ele foi lançado, comprei logo de cara e nem procurei saber se era bom ou não, e ai vem a surpresa, é um dos meus favoritos até hoje, li ele em 2012 e quando eu li a sua resenha me bateu uma saudade, acho q vou rele-lo. E Warner ui... rsrsrs

    Abçs :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. aiii, já li Destrua-me e acho que estou sacando o Warner, rs
      beijos

      Excluir
  12. Eu até gosto de distopias, mas esse não é um livro que eu tenha tanta vontade assim de ler. Apesar de ter as questões do mistério e até mesmo do que acontece com a Juliette por ela ser como é. Eu tenho outros livros na frente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu demorei muito a ler, mas me arrependo de não ter lido antes, rs
      beijos

      Excluir
  13. Apesar de não ter previsão de quando lerei a série, pois estou cheio de séries em aberto, quero muito ler os livros. Gosto bastante de livros desse estilo e tenho certeza que vou me surpreender.
    Pretendo ler em um futuro não muito distante.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de agosto

    ResponderExcluir
  14. Quero ler esta distopia e muito... também sou muito fã do estilo.
    Fico sempre pensando se um dia nosso planeta chegará a ser do jeito que encontro nos livros...
    Espero que não...
    O sobrenatural tira um pouco meu foco da reflexão, hehe...
    E o Adam é um personagem Bruna... não existe ser perfeito... haha!
    Eu adorei a resenha e espero ler os livros em breve!

    ResponderExcluir
  15. Esse foi o primeiro livro que li nesse estilo e preciso dizer: que poesia.
    Tudo tão singelo e tão forte numa contramão imensa. Eu estou apaixonada !
    ADOREI o livro!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita, e volte sempre!
Comente, opine! Cometários são sempre bem vindos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...